Cesariana: uma visão bioética

Luiza Gonçalves Barcellos, André Oliveira Rezende de Souza, César Augusto Frantz Machado

Resumo


A presente pesquisa bibliográfica discute, à luz da bioética, a autonomia de escolha da forma de parto da gestante. Analisa a prática paternalista de o médico assumir, sozinho, a definição da via de parto, procedimento que não promove a autonomia da gestante nem seu direito de escolha. Enumera fatores interferentes sobre o profissional médico e a gestante na escolha da forma de parto. Discute a vulnerabilidade da paciente frente à decisão médica e
propõe uma possível alternativa para que a autonomia da mulher seja respeitada, permitindo sua participação no processo decisório da forma de parto. Conclui apontando a necessidade de intervenção governamental voltada à promoção de condições que diminuam a vulnerabilidade
da gestante, embasada em políticas de saúde pública de incentivo ao parto normal, sempre respeitando a escolha autônoma da via de parto pela parturiente.

Palavras-chave


Bioética; Parto normal; Autonomia pessoal; Cesárea; Gestantes

Texto completo:

PDF