A necessidade do grupo-controle com placebo em pesquisas sobre a eficácia de tratamentos psiquiátricos

Marcio Versiani

Resumo


O grupo-controle com placebo é considerado essencial para a determinação da eficácia de psicofármacos no tratamento de diferentes transtornos mentais pelas agências reguladoras dos EUA, UE, Japão e comunidade científica internacional. A heterogeneidade clínica, cronicidade e evolução muito variável dos transtornos mentais tornam o placebo indispensável para se avaliar a sensibilidade discriminatória dos estudos de eficácia. Têm sido inúmeros os estudos de eficácia que não conseguem discriminar o placebo de tratamentos comprovadamente eficazes. A comparação de medicamentos ativos, sem o grupo-controle com placebo, não permite  conclusões quanto à eficácia pela possível interferência de fatores inespecíficos. Estudos placebo-controlados com os diferentes transtornos mentais têm sido conduzidos de modo ético, com uma série de cuidados e acompanhamento muito rigoroso, com uma relação risco-benefício para os pacientes comparável a dos demais estudos. Metaanálises de grandes bases de dados demonstram que não tem ocorrido dano para os participantes desses estudos placebo-controlados.

Palavras-chave


Ética; grupo-controle; placebo; pesquisa; psiquiatria

Texto completo:

PDF