Proibição de doação sanguínea por pessoas homoafetivas: estudo bioético

Edison Vitório de Souza Júnior, Diego Pires Cruz, Uanderson Silva Pirôpo, Giovanna Maria Nascimento Caricchio, Cristiane dos Santos Silva, Bráulio José Ferreira Neto, Átila Rodrigues Souza, Franciele Soares Balbinote, Fernanda Luz Barros, Gabriele da Silva Santos

Resumo


Este estudo teve o objetivo de identificar e discutir aspectos bioéticos que envolvem a proibição de doação sanguínea por pessoas homoafetivas. Trata-se de revisão integrativa da literatura, com abordagem crítico-reflexiva de artigos disponíveis na Biblioteca Virtual em Saúde e publicados entre 2013 e 2018. Foram selecionados sete estudos que contemplaram a temática, a partir dos quais surgiram quatro categorias: “inaptidão para doação de sangue”; “só homossexuais praticam sexo anal?”; “saúde pública ou heterossexismo na saúde?”; e “considerações da bioética principialista para doação sanguínea de pessoas homoafetivas”, remetendo aos quatro pilares da teoria principialista. A bioética promove reflexões sociais, direciona linhas de pensamento ou questionamento e cria novos espaços para discussão do assunto. Os dilemas envolvidos nessa abordagem dizem respeito à negação dos quatro pilares bioéticos aos sujeitos homoafetivos, induzindo maleficência a esse grupo vulnerável e aos receptores do tecido sanguíneo. 


Palavras-chave


Saúde pública. Homossexualidade. Doadores de sangue. Equidade em saúde. Direitos humanos.

Texto completo:

PDF PDF (Español) PDF (English)