Percepção do portador de HIV/aids sobre o cirurgião-dentista

Bruna Ariella Aguiar Muniz, Diene Carvalho Belo Fonte, Saulo Cabral Dos Santos

Resumo


Resumo


Este trabalho objetivou analisar a percepção de pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida sobre o cirurgião-dentista e compreender a face estigmatizada da epidemia. Trata-se de estudo quantitativo com 67 portadores do vírus, participantes da organização não governamental “Gestos comunicação, soropositividade e gênero” em Recife/Pernambuco, Brasil. Foram aplicados questionários sobre aspectos inerentes a questões como postura profissional, relação paciente/dentista e experiências durante atendimento odontológico. Os resultados apontaram que 31% dos pacientes não informaram ao dentista sua condição de soropositivo e, dentre aqueles que informaram, mais de 30% relataram que houve mudança na postura profissional. Ocultar do dentista a soropositividade é forma de garantir o atendimento para 57% dos entrevistados, e 27% relataram ter sido discriminados. Conclui-se que a evolução do tratamento da doença não foi capaz de dissolver o preconceito histórico e o estigma que afetam as pessoas infectadas, visto que ainda sofrem discriminação inclusive na área da saúde.


Palavras-chave


HIV. Síndrome de imunodeficiência adquirida. Preconceito. Estigma social. Odontologia.

Texto completo:

PDF PDF (Español) PDF (English)