Satisfação com a vida entre profissionais da saúde: correlatos demográficos e laborais

Gislene Farias de Oliveira, Genário Alves Barbosa, Luana Elayne Cunha de Souza, Carolina Lima Pereira da Costa, Rafaella de Carvalho Rodrigues Araújo, Valdiney V. Gouveia

Resumo


O presente estudo realizado com profissionais da saúde na cidade de João Pessoa/PB, Brasil, entre janeiro e julho de 2007, teve o objetivo de conhecer a relação entre variáveis demográficas e laborais com o bem-estar subjetivo, especificamente a satisfação com a vida. Procurou mostrar que o papel de algumas variáveis pode ser diferente em razão do tipo de profissão. Para isso, contou com a participação de 246 profissionais: 81 médicos, 67 enfermeiros e 98 psicólogos, que apresentaram idade média de 42,8 anos (dp = 11,54), sendo a maioria do sexo feminino (81%). O instrumento utilizado foi a Escala de Satisfação com a Vida (ESV), por meio da qual se pôde confirmar as hipóteses propostas. Neste sentido, percebeu-se a correlação da satisfação com a vida com as variáveis renda pessoal (positiva) e desejo de mudar de profissão (negativa).

Palavras-chave


Pessoal de Saúde; Satisfação pessoal; Condições de trabalho

Texto completo:

PDF