Bem-estar afetivo entre profissionais de saúde

Rildésia S. V. Gouveia, Zoraide Margaret Bezerra Lins, Leogildo Alves Freires, Ana Isabel Araújo Silva de Brito Gomes, Tiago Jessé Souza e Lima

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar o bem-estar afetivo no ambiente de trabalho em uma amostra de profissionais da área de saúde. Compreender os afetos no ambiente de trabalho torna-se condição indispensável para o melhor entendimento tanto do bem-estar geral dos indivíduos quanto sua satisfação com o trabalho. Contou-se com a participação de 198 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, odontólogos, fisioterapeutas, nutricionistas e farmacêuticos, sendo a maioria do sexo feminino (74,7%), com idade média de 45 anos (dp = 9,80). Estes responderam a Escala de Bem-Estar Afetivo no Trabalho (JAWS) e informações demográficas. Os resultados apontaram, em geral, um predomínio de emoções positivas. Entretanto, foram observadas diferenças significativas entre os afetos relatados por odontólogos em relação a médicos e enfermeiros, tendo estes últimos apresentado uma média maior de afetos negativos em relação ao seu trabalho.

Palavras-chave


Avaliação; Afeto; Pessoal de Saúde

Texto completo:

PDF