Reflexões sobre cuidados a pacientes críticos em final de vida

José Eduardo Siqueira, Leo Pessini

Resumo


Resumo

A influência do pragmatismo tecnológico nos cuidados de saúde oferecidos a pacientes criticamente enfermos, sobretudo àqueles na terminalidade da vida, faz a maioria deles terminar seus dias em unidade de terapia intensiva.Este artigo defende atendimento mais humanizado para essas pessoas e propõe reflexão bioética sobre a temática. O texto é dividido em três partes. Inicialmente apresenta-se a realidade das unidades de terapia intensiva no Brasil, baseando-se na Resolução 2.156/2016 do Conselho Federal de Medicina, que disciplina o uso e os procedimentos médicos nestes setores. Em seguida, contextualiza-se a discussão sobre algumas questões relativas ao final da vida, a partir de pesquisa internacional realizada em quatro países: Estados Unidos, Japão, Itália e Brasil. A última parte é dedicada à análise da eutanásia e do suicídio assistido, considerando argumentos técnicos e morais apresentados pelo médico e bioeticista norte-americano Ezekiel Emanuel.

Palavras-chave: Bioética. Unidades de terapia intensiva. Cuidados paliativos. Eutanásia. Suicídio assistido.


Palavras-chave


Bioética.Unidade de Terapia Intensiva.Cuidados Paliativos.Eutanásia.Suicídio Assistido

Texto completo:

PDF PDF (Español) PDF (English)