Percepção de pacientes oncológicos sobre terminalidade de vida

Lauren Tana Comin, Marina Panka, Vilma Beltrame, Jovani Antônio Steffani, Elcio Luiz Bonamigo

Resumo


Objetivou-se analisar, por meio de pesquisa descritiva, a percepção de pacientes oncológicos diante da terminalidade da vida. Aplicou-se questionário para 100 pacientes oncológicos, dos quais 85% desconheciam testamento vital/diretivas antecipadas de vontade, 81% desconheciam cuidados paliativos e 70% desconheciam ordem de não reanimar. Após esclarecimento sobre os termos empregados, 62% concordariam em elaborar testamento vital/diretivas antecipadas de vontade, 82% concordariam em receber cuidados paliativos
no domicílio e 64% em ser reanimados em qualquer situação, mas a maioria (73%) discordou da prática de distanásia. Apenas 11% referiram inadequação na forma de comunicação de seu diagnóstico pelo médico. A presença de metástases suscitou reflexão mais ampla sobre terminalidade da vida. Os resultados permitem inferir que é necessário incentivar a discussão sobre terminalidade da vida na população durante a assistência aos pacientes, bem como estimular o debate sobre o assunto durante a formação de profissionais de saúde.


Palavras-chave


Doente terminal. Serviço hospitalar de oncologia. Cuidados paliativos. Testamentos quanto à vida. Ordens quanto à conduta (ética médica).

Texto completo:

PDF PDF (English) PDF (Español)