Percepção de enfermeiras intensivistas de hospital regional sobre distanásia, eutanásia e ortotanásia

Rudval Souza da Silva, Cássia Luiza de Souza Evangelista, Rodrigo Duarte dos Santos, Gilvânia Patrícia do Nascimento Paixão, Christielle Lidianne Alencar Marinho, Gerlene Grudka Lira

Resumo


Este estudo analisa a percepção de enfermeiras intensivistas de hospital regional sobre os conceitos distanásia, eutanásia e ortotanásia e possíveis implicações bioéticas no cuidado do doente terminal. Realizou-se pesquisa exploratória e descritiva, de natureza qualitativa, aplicando questionários a oito enfermeiras que atuam em duas unidades de terapia intensiva. Identificaram-se os temas que emergiram das respostas, que foram então analisados com base na literatura. Os resultados evidenciaram que as enfermeiras sabiam conceituar distanásia, eutanásia e ortotanásia; contudo não conseguiam efetivar um cuidado direcionado pelos princípios da ortotanásia, além de demostrarem
dificuldade em definir os quatro princípios bioéticos que devem direcionar os cuidados. Conclui-se que, apesar das enfermeiras compreenderem os três conceitos de terminalidade e reconhecerem sua importância em
relação ao cuidado, não foi possível depreender, das respostas analisadas, que na sua prática cotidiana os princípios da ortotanásia estejam efetivamente presentes, o que pode influenciar negativamente a qualidade da assistência.


Palavras-chave


Cuidados paliativos. Cuidados de enfermagem. Bioética. Unidades de terapia intensiva.

Texto completo:

PDF PDF (English) PDF (Español)